Segurança Pública | Carreiras & Oportunidades

Segurança Pública



Pela Constituição, segurança pública é assunto de responsabilidade dos governos federal e estaduais. O Ministério da Justiça é o órgão máximo responsável pela elaboração e implantação de estratégias de combate à violência e à criminalidade. Responde a esse ministério, por exemplo, a Polícia Federal, que investiga crimes nacionais, como o narcotráfico e o contrabando. Aos estados e ao Distrito Federal cabe a execução das ações de segurança, no comando das polícias Militar (repressão e prevenção) e Civil (investigação). As prefeituras não têm, pela Constituição, responsabilidade pela segurança pública, mas algumas cidades instituíram a Guarda Civil Municipal para auxiliar as demais polícias. Nesse cenário institucional, o bacharel em Segurança Pública é um especialista no setor, preparado para elaborar programas e políticas. Ele compreende de maneira profunda os problemas de segurança do país, considerando o papel do Estado e seus agentes, levando em consideração os interesses da sociedade - questões como direitos humanos e cidadania. É sua função analisar a evolução das taxas de violência, bem como temas relacionados à segurança ambiental e à defesa civil. É possível ingressar na área com a formação de tecnólogo. Nesse caso, a atuação do profissional é voltada para as atividades práticas da carreira.

SERVIÇOS PENAIS

Esta graduação tecnológica, oferecida pela Fadergs, em Porto Alegre (RS), prepara para atuar na gestão de serviços penitenciários, desenvolvendo estratégias de segurança e disciplina. Participar da gestão da saúde, qualidade de vida e inserção social do preso e propor e formular políticas públicas que minimizem os riscos e as consequências negativas do confinamento são atribuições desse profissional.

Mercado de Trabalho

Aparecem comumente no noticiário reportagens sobre casos em que a polícia é acusada de violência e abuso na abordagem de manifestantes ou suspeitos de crime. Segundo o Conselho de Direitos Humanos da ONU, a legislação de mais de 140 países é antiquada no que se refere, principalmente, à permissão do uso da força pela polícia de maneira indiscriminada. Essa é apenas uma das diversas questões relacionadas à segurança pública, que ganha destaque no mundo e no Brasil. "No Brasil a segurança pública é calcada na repressão e na punição - ou seja, é voltada para o confronto e para a privação da liberdade. Carecemos de uma visão preventiva dos conflitos, que leve em conta questões sociais e econômicas", diz Lenin Pires, coordenador do bacharelado em Segurança Pública da UFF. Essa nova visão social da segurança pública abre boas perspectivas tanto para o bacharel quanto para o tecnólogo na área. As oportunidades estão em secretarias públicas federais, estaduais e municipais, e também em empresas privadas, onde o profissional pode assumir a função de assessor, planejador ou assistente na elaboração e revisão de políticas públicas para o setor.

O Curso

O bacharelado forma profissionais com conhecimento nas áreas sociais, jurídicas e de gestão da segurança, para trabalhar em agências ou secretarias federais, estaduais e municipais do setor, como as polícias Militar e Civil, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. As disciplinas dividem-se entre as de formação humanística, como Sociologia, Antropologia e Filosofa, e específicas, como criminologia, criminalística, direito penal e mediação de conflitos. Parte importante do curso é a reflexão sobre a ação das polícias e o respeito aos Direitos Humanos.

Duração média: de 3 a 4 anos.


Embora aberto a todos os públicos, pelas diretrizes do Ministério da Educação (MEC), o cursotecnológico é voltado a profissionais que já fazem carreira em segurança pública. Incluem-se nesse grupo funcionários do Corpo de Bombeiros, das polícias federais e estaduais e das guardas municipais, além de agentes penitenciários. O objetivo da graduação é dar uma visão ampla da resolução de conflitos calcada na cultura da paz, levando em conta os interesses da sociedade em geral ou de uma comunidade específica. "A segurança pública no país é hoje calcada na repressão policial e jurídica, o que se traduz numa polícia violenta", diz Pedro Heitor Barros Geraldo, um dos coordenadores do curso na UFF. "A filosofia deste curso visa à resolução dos conflitos por meio do diálogo, baseada em princípios de cidadania e direitos humanos." Assim, de modo semelhante ao bacharelado, a grade curricular é baseada fundamentalmente em disciplinas da grande área de Ciências Humanas e Sociais. Mas o enfoque é mais prático: menos de pesquisa e mais de aplicação do conhecimento no planejamento, na coordenação e execução das ações de segurança pública.

Atenção: a Fadergs, em Porto Alegre (RS) oferece a graduação tecnológica em Serviços Penais, que prepara para a gestão de serviços penitenciários.

Duração média: 2 anos

 



Cophyright © 2017 Carreiras & Oportunidades - Grupo Reis. Todos os direitos reservados.
"Tudo posso em Cristo que me fortalece." (Fp 4:13)