Os 7 pecados que você não pode cometer na entrevista de seleção! | Carreiras & Oportunidades

Os 7 pecados que você não pode cometer na entrevista de seleção!



Os 7 pecados que você não pode cometer na entrevista de seleção!

 

 

Engraçado... pode ser a pessoa mais experiente, mas ao marcar uma entrevista vem  logo sente aquele friozinho na barriga, principalmente se há muito tempo desempregado, nãoé verdade? Sofremos, muitas vezes, ao sair da sala de entrevista, já pensando que poderia ter sido melhor.

 

Essa sensação é frequente quando não estamos completamente seguros ou ansiamos muito aquele emprego. A autoestima é um fator preponderante para o sucesso ou insucesso.

 

Não existe “receita de bolo” para obter sucesso e a ideia desta matéria é  elencar os erros que não podem ser jamais cometidos no momento tão importante, vamos lá!!

 

 

  • Falar mal da empresa anterior

A empresa que você trabalhou pode ser a pior do mercado, não comente nada negativo sobre os antigos gestores e/ou colegas. O mercado de trabalho preza muito pela postura ética e discrição dos profissionais. O mercado sabe como são as empresas, as informações circulam na área de segmento e, é totalmente desnecessário pontuar as deficiências da empresa.

 

 

  • Candidato narcisista.

 Para o entrevistador existe uma diferença clara do competente seguro  e o candidato narcisista. O tipo narcisista tem o habito de pontuar os seus adjetivos sem parar. O ideal é demonstrar segurança com modéstia, nada exagerado. Quando perguntamos sobre os maiores desafios da carreira ou a melhor atitude em experiência anterior, a nossa intenção é conhecer o desenvolvimento, a percepção e identificar características atitudinais.

 

 

  • Falta de Postura.

 

A melhor vestimenta é aquela que não evidencia os atributos físicos (só se a vaga solicitar) e não chama a atenção pelo barulho dos sapatos, pulseiras ou pela maquiagem. O adequado é entreter o entrevistador pelo rico vocabulário, educação e postura.

Outro fator que negativa a imagem do candidato é o uso do celular nas etapas de seleção, principalmente na entrevista. Se existe uma real necessidade, informe antes de começar e exponha de forma concisa o motivo.

Não fale alto, apague qualquer vício de linguagem, evite rir alto (na sala de espera). Tenha certeza que desde o momento que o candidato chega ao local, ele pode ser analisado.

 

 

  • Incoerência.

 

Certo dia, perguntei ao candidato o motivo dele ter escolhido a empresa e fiquei surpresa ao ouvir que era pelo plano de saúde. Fiquei surpresa pela sinceridade do rapaz, mas eu poderia pensar que o rapaz sofria de alguma doença grave e que teríamos a ausência garantida, não poderia?  Pra ser honesta, não foi uma resposta ideal... De qualquer forma, as repostas prontas não são interessantes, esperamos respostas coerentes e não  contraditórias.

O candidato precisa ficar atento a escuta. Caso não compreenda, o ideal é pedir a reformulação da pergunta, evite responder qualquer coisa ou olhar para o céu pedindo que venha uma inspiração. Os movimentos do corpo “falam” e, para quem tem experiência na área de seleção é muito mais fácil compreender a linguagem corporal.

 

 

  • Não minta!

Pense desde o momento que for elaborar o currículo para evitar criar informações não fidedignas, seja honesto sobre suas experiências anteriores e competências adquiridas.

O processo de recrutamento e seleção é oneroso para as empresas e tão frustrante quando o candidato passa por varias etapas e depois se comprova o não entendimento sobre uma tecnologia, idioma ou experiência que não existiu.

Por exemplo, se o candidato alega o inglês intermediário ou fluente, a entrevista pode ser realizada em inglês.

Seja sincero, expresse sua disponibilidade e interesse e aprender, caso a vaga seja clara sobre as competências indispensáveis, não submeta seu currículo.

 

 

  • Atrasos e faltas.

 

O atraso é um cartão de visita negativo. Programe para sair com antecedência, evitando o caos do trânsito e/ou qualquer impedimento. Não deixe para procurar o local na última hora, busque informações com antecedência.

Se for realmente inevitável, informe a empresa imediatamente e reforce por e-mail.

 

 

  • Prolixo e uso de metáforas.

O mundo globalizado exige objetividade (com educação), dispensando delongas, principalmente quando as vagas são para organizações altamente competitivas.  Cada entrevistador, a depender do tipo de entrevista, tem a média de entrevista e se o candidato é prolixo, além de perder o foco, cansa quem está ouvindo. Não utilizar de forma alguma o uso de metáforas, porque pode ser interpretado de diversas formas e não é adequado para a maioria dos cargos.

 

 É salutar que o analista de recursos humanos avalie o currículo antes da entrevista de modo a realizar assertivas perguntas. O candidato por sua vez, precisa também avaliar as empresas e buscar informações sobre o perfil, missão, visão, concorrentes e sua atuação no mercado.

 

Inegavelmente, todas as nossas ações demandam respostas do mundo do trabalho. Se você for bom no que faz, a empregabilidade estará garantida.  Não busque função que não goste pelo motivo de desemprego, caso aceite, faça com esmero. 

 

 Qual a marca que deseja construir?

 

 

 

Noêmia C Araújo Resende

Consultora Empresarial, Administradora, Especialista em Gestão Estratégica de Recursos Humanos, Professora universitária e mestranda em saúde, ambiente e trabalho pela UFBA.

 

Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado acima.



Cophyright © 2018 Carreiras & Oportunidades - Grupo Reis. Todos os direitos reservados.
"Tudo posso em Cristo que me fortalece." (Fp 4:13)